Uma mente inquieta!

Amarras do pensamento

Vocês se lembram do desenho dos Jetsons? Acho que ainda passa na TV… Lembro-me de quando eu criança. Assistia aquele desenho, com olhos de criança, maravilhada pelas engenhocas do futuro. Pois bem… cá estamos – no futuro. Algumas dessas maravilhas realmente foram inventadas, outras não. Por quê?

Acredito que para a humanidade nada é impossível. Gosto sempre de partir deste princípio. Entendo que nós, seres humanos, fomos “desenhados” para resolver problemas. E indo um pouco mais adiante, resolver problemas, que aliás, nós mesmo criamos. Mas por quê alguns problemas são mais difíceis de serem resolvidos? Por quê, ao pensar em soluções, começamos a nos limitar pelo possível?

O que é um problema: Qualquer assunto ou questão que envolve dúvida, incerteza ou dificuldade  (Michaelis). Ora, dúvida, incerteza ou dificuldade…

De onde surgem? Surgem de nossas inquietas mentes programadas para pensar. Quais são, então, os limites de nossa mente que nos impedem de ir além?

Os limites de nossa mente nos foram impostos e aprendemos a conviver com eles. Em nosso primeiro contato com a sociedade, na escola, as aspas de nossos pensamentos começaram a ser criadas. O Professor, na melhor das intenções, nos ensina a repetir (não encarem como uma crítica aos professores, este é o sistema educacional estabelecido!), não nos ensina a enfrentar ou questionar os nossos limites. O que é uma prova, se não, a repetição de uma teoria estabelecida? Somos avaliados pela repetição. Somos estimulados a imitar, copiar e reconhecidos por isto.

Assistindo um programa no Canal Futura, onde crianças de 3 a 5 anos fazem aula de filosofia, penso que se nos ensinassem a pensar desde crianças teríamos uma liberdade muito maior para criar, imaginar, viver…! Não estaríamos tão presos em nossos limites mentais.

Quanto ao desenho dos Jetsons, assistam o vídeo do TED (www.ted.com/talks/anna_mracek_dietrich_a_plane_you_can_drive.html). Lá está uma das maravilhas do mundo dos Jetsons sendo criadas por jovens em uma garagem no MIT.

A proposta é simples. A humanidade sempre quis um carro que pudesse voar. Esses caras construíram um avião que pode ser dirigido como um carro. Com certeza eles partiram do princípio de que não era impossível – e fizeram. Esta é a capacidade humana, criar soluções para problemas que nem mesmo existem. Só nos damos conta de que existia uma porta para o novo depois que o novo já está aqui.

Continuo compartilhando esse princípio todos os dias – de que nada é impossível!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: